domingo, 6 de maio de 2012

Abrótea (Asphodelus sp.)





Habituado às minhas origens, lá para os lados do litoral central…
… habituado à abrótea com escamas, peixe marinho, estava longe de imaginar que tal bicho possuía um homónimo parente no reino vegetal.
Pois abrótea (Asphodelus sp.) é a planta da imagem, frequente em locais algo perturbados: margens de estrada, orlas agrícolas, pousios, baldios e incultos. Encontrei os exemplares das imagens num talude de estrada em pleno vale do Douro.
A abrótea é uma planta bolbosa, de flores vistosas e caule comestível. A haste florida parte de um denso tufo basal de folhas, terminando numa inflorescência em forma de espiga, podendo contudo coexistir com outras inflorescências laterais mais curtas.
Existem diversas espécies de abróteas, difíceis contudo de destrinçar para um candidato a aprendiz de botânico, como eu.
É inegável o valor da abrótea enquanto planta ornamental. Tenho várias abróteas  plantadas no meu jardim autóctone sem que contudo ainda tenham florido. Aguardo pacientemente. Paciência aliás  é característica fundamental a quem se avia de plantas no viveiro da valeta.
Rafael Carvalho / mai2012

Sem comentários:

Enviar um comentário