terça-feira, 8 de abril de 2014

Rosa-albardeira, finalmente…




+
O meu desejo de possuir uma rosa-albardeira (Paeonia broteroi) já vem de longa data. Esta espécie nativa no território nacional também existe aqui no Douro. Em espaço natural nunca lhe pus porém os olhos em cima!
Há cerca de dois anos, o autor de um blogue amigo residente no Algarve enviou-me umas sementes. Uma vez semeadas, durante o ano passado não houve qualquer novidade. Dei o caso por perdido e o vaso ficou esquecido num canto do jardim.
Ora esta semana tive uma surpresa – dei com algumas “rosinhas” nascidas no vaso!
Rosa-albardeira, mais uma espécie a acrescentar ao meu jardim.
Rafael Carvalho / abr2014

14 comentários:

  1. Eu bem gostaria de saber se a belíssima rosa-albardeira se adapta ao solo difícil e ao clima agreste da Beira Baixa. Por estas paragens nunca vi nenhuma.
    Boa sorte com o transplante.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. O portal Flora On dá uma ideia aproximada da distribuição da rosa-albardeira em Portugal. Ocorre espontaneamente na fronteira entre a Beira Alta e a Beira Baixa, como poderá confirmar em http://www.flora-on.pt/#/1rosa-albardeira.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  3. Já tinha seguido o seu link no post e já tinha visto a distribuição geográfica. Mas a minha dúvida permanece. Porque de sítio para sítio as condições alteram-se e os Jardins do Xisto estão implantados em solo muito adverso. Estou no entanto tentado a experimentar. Bem haja.

    ResponderEliminar
  4. O que são óptimas notícias! Parabéns e o obrigado pela "prova" de que as sementes de rosa-albardeira germinam! De experiência própria também sei o quanto ás vezes é dificil...

    ResponderEliminar
  5. João,
    existem sementes de germinação efetivamente difícil.
    Aconteceu-me a dado momento semear umas sementes de azevinho que só germinaram passado uns anos!
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  6. Que sorte! Já estou com inveja. Também tenho por aqui uma num vaso, no ano passado apenas deu folhas, no Inverno esteve desaparecida e agora ganhou nova folhagem, veremos....

    ResponderEliminar
  7. Talvez eu tenha encontrado quem procuro. Tenho um "jardim botânico", inclui espécies que até são raras (onde se inclui a rosa-albardeira), outras estão em perigo de extinção. No concelho do Fundão tenho uma casa e quase 4 hect de terreno, o meu marido é natural daí. Ele até equaciona voltar para a terra (vivemos no Algarve), e eu, que não sou daí, nem me importo, o pior é o clima (frio!). e as minhas plantas. Será que se adaptam? Já fico feliz pela rosa-albardeira, que pensei que não se dava aí. Há mais plantas pelas quais tremo: batata-doce, coentros, tomilho, que os meus sogros eram agricultores e não tinham nada disto, nem sequer conheciam. Eu ia para o concelho do Fundão, mas com as plantas. Agradeço uma resposta, se possível. Obrigado

    ResponderEliminar
  8. Talvez eu tenha encontrado quem procuro. Tenho um "jardim botânico", inclui espécies que até são raras (onde se inclui a rosa-albardeira), outras estão em perigo de extinção. No concelho do Fundão tenho uma casa e quase 4 hect de terreno, o meu marido é natural daí. Ele até equaciona voltar para a terra (vivemos no Algarve), e eu, que não sou daí, nem me importo, o pior é o clima (frio!). e as minhas plantas. Será que se adaptam? Já fico feliz pela rosa-albardeira, que pensei que não se dava aí. Há mais plantas pelas quais tremo: batata-doce, coentros, tomilho, que os meus sogros eram agricultores e não tinham nada disto, nem sequer conheciam. Eu ia para o concelho do Fundão, mas com as plantas. Agradeço uma resposta, se possível. Obrigado

    ResponderEliminar
  9. As plantas vivazes (plantas cuja parte aérea desaparece no inverno), de que a rosa albarfeira é um exemplo, terão sucesso garantido no Fundão. O mesmo acontecerá com as plantas de folha caduca e a maioria das aromáticas, tomilho e coentros incluídos. Relativamente à batata-doce e restantes hortícolas, é só afinar o calendário de plantação-sementeira.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Rafael.
      Eu vou tentar, o pior que pode acontecer é ter de voltar para o Algarve. O meu "jardim botânico" começou por brincadeira, mas também pelo desejo de proteger a nossa flora, da qual desaparecem cada vez mais espécies. Nunca pensei que tivesse tanto sucesso, até tem tido visitas a que podemos chamar ilustres, coisa que nunca pensei, assim como pessoas interessadas nas muitas plantas medicinais de que disponho, por essa razão estou a estudar um site voltado para essas plantas. Mais uma vez obrigado, desejo-lhe todas as felicidades, talvez um dia nos encontremos nessa aldeia do Fundão.
      Abraço.

      Eliminar
  10. Boa dia Rafael Carvalho,

    Gostaria de saber onde posso comprar sementes da Rosa albardeira (meicoelho40@gmail.com).

    Cumprimentos,

    ResponderEliminar
  11. A Paeonia broteroi vulgo rosa-albardeira adapta-se bem ao frio, não gosta tanto é do ph ácido da terra, são plantas que precisam de algum cálcio daí a sua distribuição, quanto a germinação longa, acontece porque é uma planta bi ou poli anual a germinar precisa de duas estratificações de frio e calor para se habituar ao local que geralmente no caso das paeonias mediterrânicas deve ser drenante... é aconselhável não a mudar de sítio, geralmente deixam de florir por uns anos ou de todo caso seja mal enterrada.

    ResponderEliminar
  12. Caros Amigos tenho no meu jardim algumas Rosas Albarde-iras umas provenientes da Suiça, e outras selvagens no entanto tenho algumas duvidas, a sua reprodução è através de semente ou batata?

    ResponderEliminar